Ginecomastia Cirurgia Plástica das Mamas

março 19, 2012

Ginecomastia Cirurgia Plástica das Mamas

É causada por um desenvolvimento excessivo no tecido glandular e ou gorduroso da região mamária masculina. Independe de idade, pois ocorre na infância, na adolescência ou na velhice. A ginecomastia pode ser idiopática (sem causa aparente) ou provocada pelo consumo excessivo de álcool, drogas, esteróides anabolizantes ou, ainda, certos tipos de medicamentos.

Basicamente, há três tipos de ginecomastia: a “falsa”, ou Lipomastia, resultante do excesso de tecido gorduroso localizado, cujo tratamento é a lipoaspiração; a “mista”, fruto do aumento de tecido gorduroso e glandular, para a qual são indicadas a lipoaspiração para retirar a gordura e a incisão cirúrgica para a retirada do tecido glandular; e a “verdadeira”, causada por uma hipertrofia benigna da glândula mamária, sendo indicada a ressecção (retirada) glandular associada ou não ao possível excesso de pele existente.

 

Procedimento Cirúrgico da Ginecomastia

A técnica cirúrgica mais comum consiste em uma incisão periareolar inferior (em forma de semicírculo na parte inferior da aréola) para que seja retirada a glândula. A cicatriz fica praticamente imperceptível com o tempo. O procedimento cirúrgico pode ser realizado em caráter ambulatorial ou hospitalar, sob anestesia local com sedação, peridural ou geral. Na maioria dos casos, a internação é de 12 horas, no máximo.

 

Pós-operatório da Ginecomastia

• O paciente deve utilizar uma malha compressiva no tórax por 4 semanas;
• O retorno à rotina de atividades é rápido, em média de 3 a 7 dias;
• Os pontos são removidos em torno de 10 dias após a cirurgia;
• A exposição ao sol deve ser evitada durante 2 meses;
• Exercícios físicos podem ser praticados depois de um mês da cirurgia.