IMAGEM PARA SITE

Palestra Dr. Eduardo Lintz sobre Rinoplastia no Congresso Mundial de Cirurgia Plástica

maio 07, 2015

Entre os dias 19 e 22 o Rio de Janeiro aconteceu pela primeira vez o Congresso Mundial de Cirurgia Plástica, da ISAPS (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética), na sigla em inglês. A última edição, 2012, foi em Genebra. Com toda a sua beleza, o Rio de Janeiro desbancou São Paulo para sediar o evento, onde foi esperado mais de 2.500 participantes.
Dr. Eduardo Lintz, membro da ISAPS e cirurgião plástico da clínica Eduardo Lintz, falou sobre “técnicas de Rinoplastias, intitulada como Estudo Comparativo entre RINOPLASTIA aberta e fechada no tratamento da ponta nasal ( COMPARATIVE ANALYSIS BETWEEN OPEN AND CLOSED RHINOPLASTY ON TIP TREAMENT).
Na sua apresentação ressaltou que:
Os pacientes com expectativas realísticas, diagnóstico, pré-operatório adequado por meio de exame físico detalhado, boa relação médico-paciente e plano cirúrgico bem conduzido são essenciais para obter um resultado satisfatório.
A anatomia e a fisiologia nasais são o ponto de partida para o entendimento das alterações estético-funcionais do nariz e o cirurgião deve estar familiarizado com o comportamento pós-operatório da Rinoplastia.
A Rinoplastia busca resultados efetivos, duradouros e naturais. Evidentemente não existe um nariz perfeito, tampouco é possível obtermos um resultado absolutamente previsível. De acordo com a alteração existente, o cirurgião deverá optar pela técnica mais apropriada, a fim de obter o melhor resultado possível, com menor índice de complicações.
Importante dizer que este ano, o Brasil ultrapassou os Estados Unidos e se tornou líder em número de cirurgias plásticas. A maioria das operações é de lipoaspiração (22.896 em 2013) e colocação de prótese de silicone nas mamas (226.090). Em seguida, vêm redução de mamas (139.835), abdominoplastia (129.601) e blefaroplastia – cirurgia na pálpebra – (116.849), de acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps).